BNB

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Desconto no contra-cheque desagrada servidores e sindicato agenda manifestação para depois do Carnaval

Mazé dos Santos culpa a prefeitura por agir de má fé.

Assim que retornar de viagem do Carnaval, o prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra (PTB), terá seu primeiro imbróglio administrativo para resolver. É que o Sindicato dos Servidores Municipais de Juazeiro do Norte (Sinsemjun) está convocando todos os filiados para uma manifestação na quinta-feira (2/3), às 10 horas, em frente ao prédio da prefeitura, contra o desconto duplo no contra-cheque do servidor neste mês de fevereiro.
É que, como a prefeitura pagou os meses de janeiro e fevereiro dentro do mês (fevereiro), houve desconto duplo do Imposto de Renda, o que fez alguns servidores perder mais 40% do vencimento.
Segundo os dirigentes do sindicato, houve má fé, pois o dinheiro descontado no contracheque dos servidores ficam retido para a prefeitura. "Foi esperteza da administração. Deviam ter consultado o sindicato, pois ninguém pediu pra receber antecipado. Se tivessem pago a partir do dia 1º de março, não haveria esse duplo desconto.", disse Mazé dos Santos, presidente do Sinsemjun, ao jornalista João Hilário, da Rádio Padre Cícero, neste sábado (25).
NOTA
A Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte, por meio da Secretaria de Gestão (SEGEST), esclareceu por meio de nota à imprensa que os descontos feitos no pagamento dos servidores municipais nesses dias 23 e 24 de fevereiro, estão sendo efetuados dentro da legalidade.
"O Secretário da SEGEST, Evaldo Soares, esclarece que houve mais de um pagamento no mês de fevereiro, ou seja, foi pago a folha de janeiro no começo de fevereiro, houve pagamento de uma Gratificação de Desempenho Fiscal e Incremento da Arrecadação dos Tributos (GDFIAT), também no mês de fevereiro e, agora, aconteceu o pagamento da folha referente ao mês em curso.
Ele explica que o cálculo do imposto de renda retido na fonte é feito sobre o total de todos os pagamentos realizados dentro do mês. “Então, não houve nenhum desconto irregular. Apenas estão sendo seguidas as orientações da legislação em vigor", diz a nota.