BNB

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Campanha Ceará sem Drogas mobiliza mais de 2 mil estudante em Cruz


Cerca de três mil jovens, moradores e lideranças políticas do município de Cruz lotaram o ginásio poliesportivo Josino Bernardino da Silveira, no bairro Vila Olímpica, na manhã desta sexta-feira (5), para acompanhar a 15ª edição da campanha Ceará sem Drogas. A iniciativa, idealizada pelo presidente da Assembleia, deputado Zezinho Albuquerque (PDT), busca conscientizar jovens cearenses sobre os malefícios da dependência química.
 Zezinho Albuquerque ressaltou o recente levantamento da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), segundo o qual 70% a 80% dos jovens se envolvem com drogas por causa da curiosidade. “Precisamos do envolvimento das famílias e das escolas, porque sem elas não se faz com sucesso esse projeto Ceará sem Drogas”, afirmou.
 O parlamentar destacou ainda os resultados do Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência – desenvolvido pela Assembleia Legislativa em parceria com o Governo do Estado e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).
 Segundo Zezinho Albuquerque, o relatório do Comitê mapeou o perfil dos jovens que praticam homicídios e também dos que são assassinados, além de identificar o contexto em que esses jovens estavam inseridos.
 O prefeito de Cruz, Jonas Muniz, agradeceu ao deputado Zezinho Albuquerque pela oportunidade de discutir a temática no município e ressaltou a importância da prevenção no combate às drogas.
 “Nada melhor do que prevenir a droga, porque nós sabemos, e vocês jovens também sabem, que aquele que entra e se envolve dificilmente consegue sair”, alertou. Ele lembrou ainda que as famílias também são atingidas pelo problema, e não apenas o usuário.
 O ex-jogador e comentarista esportivo Walter Casagrande, durante a palestra sua experiência com as drogas, lembrou que hoje existem projetos que buscam esclarecer acerca dos riscos do uso dos entorpecentes, algo que, segundo ele, não existia antes.
 “Hoje eu consigo ter uma rotina: faço academia todos os dias pela manhã, vou para a terapia à tarde, no final de semana vou ao teatro, cinema, bares… Isso eu consegui após a recuperação, mas, quando você está nas drogas, a droga pega você para ela, você não consegue fazer nada. Você põe em risco a sua posição, você põe em risco até a sua vida”, alertou.