BNB

domingo, 21 de maio de 2017

Ministério Público quer saber porquê da morosidade do prefeito Arnon Bezerra para liberar pagamento do precatório do Fundeb aos professores

Prefeito Arnon Bezerra.

Passados cinco meses do início previsto para o pagamento do precatório do Fundeb aos professores de Juazeiro do Norte, o Ministério Público está preocupado com a morosidade do prefeito Arnon Bezerra em relação ao assunto. Nos últimos dias, representantes do MP receberam uma comitiva do Sindicado dos Professores que cobram celeridade da Justiça e do prefeito.
Os sindicalistas atribuem ao prefeito a morosidade por falta de interesse em dar um basta na questão. Enquanto municípios de porte menores da região já repassaram o dinheiro do Fundeb aos professores, aqui em Juazeiro, as negociações se arrastam, sem justificava plausível, desde o início do ano.
São reuniões e mais reuniões sem se chegar a uma definição. "Na imprensa, o prefeito tem dito repetidas vezes que não quer um centavo dos professores e repete: Dá a César o que é de César. Não queremos nada de César e muito menos da prefeitura. Lutamos por nosso direito, que é receber esse dinheiro do precatório. Muitos colegas estão em dificuldades financeiras. Esse aporte financeiro vai aliviar, mas o senhor prefeito parece insensível", disse uma professora do município que, temendo represálias, não quis ser identificada.
Nesta semana que se inicia, o prefeito Arnon Bezerra deverá ser convocado ao MP para justificar a demora e será cobrado agilidade para o pagamento, pois o sindicato já encaminhou todo procedimento exigido pela prefeitura, inclusive a lista de quem será beneficiado, para solucionar o impasse.
Em alguns setores da imprensa local, onde por sinal, o prefeito Arnon fala e ouve o que quer, por conta do livre acesso, sempre tem feito autoproteção ao afirmar nos microfones, que não pode simplesmente liberar o pagamento sem aval da Justiça ou do Ministério Público.
O blog tentou ouvir sobre o assunto, o procurador-geral do município, advogado Bernardo Oliveira, mas como sempre o procurador não atendeu as ligações feitas entre a noite de sábado (20) e a noite deste domingo (21). Bernardo e a secretária de Educação, Maria Loreto de Lima, são quem estão à frente das negociações com os sindicalistas. Mas parece que Bernardo, "hibernou" na gestão municipal, diante da falta de respeito com a opinião pública. A secretaria também não foi localizada pelo blog.